Skip to main content
Saúde da mulher requer cuidados especiais

Saúde da mulher requer cuidados especiais

A saúde da mulher deve receber uma atenção especial desde o final da infância até a terceira idade. O ideal é que a primeira consulta com um ginecologista seja feita no início da puberdade, tão logo ocorra a primeira menstruação. A orientação é da ginecologista Milena Elisa Goes Dias Silva, da equipe do Centro de Reprodução Humana de Piracicaba.

A primeira dose da vacina contra o HPV, o vírus do papiloma humano, deve ser tomada aos 9 anos. De acordo com a ginecologista, é essencial que a adolescente tome todas as doses da vacina antes do início da vida sexual para evitar que contraia o vírus. “A vacinação é a única forma de prevenção, já que muitos portadores de HPV não possuem sinais ou sintomas e podem transmitir o vírus”, alerta.

O HPV pode ser transmitido mesmo com a utilização de preservativo, pois pode estar presente em outras partes do corpo não protegidas pela camisinha, como as mucosas.

Segundo o Ministério da Saúde, a vacina HPV quadrivalente é segura, eficaz e é a principal forma de prevenção contra o aparecimento do câncer do colo de útero, a quarta maior causa de morte entre as mulheres no Brasil.

IMPORTÂNCIA DA CONSULTA

Milena Goes destaca a importância da consulta regular ao ginecologista. “No início da puberdade, é possível identificar alterações hormonais graves ou má-formação do aparelho reprodutor e indicar tratamentos adequados.”

“Quando a paciente inicia a vida sexual, solicitamos o Papanicolau”, informa a médica, que ressalta a importância da prevenção, orientação dessa jovem e necessidade de acompanhamento regularmente. “A adolescente precisa receber informações de forma clara e correta sobre métodos anticoncepcionais, prevenção de gravidez e como evitar as doenças sexualmente transmissíveis.”

Milena destaca a importância de que as mulheres tenham a consciência da necessidade da visita anual ao ginecologista para preservar a fertilidade, prevenir ou fazer o diagnóstico precoce de problemas graves de saúde, como o câncer de mama e de colo de útero.

Ela explica que as infecções genitais (colo do útero, vagina e vulva), se não tratadas de forma correta, podem subir e provocar infecções nas trompas, causando infertilidade. Estudos apontam que 35% dos casos de infertilidade feminina são por problemas nas trompas.

A partir dos 40 anos, a ginecologista ressalta a importância de a mulher, além de fazer o autoexame das mamas, consultar o ginecologista para que seja realizado exame clínico, mamografia e, quando houver necessidade, ultrassonografia.

Além disso, após o período, destaca que o especialista acompanha a saúde da mulher e pode orientar sobre cuidados e tratamentos para aliviar os sintomas da menopausa e garantir qualidade de vida.

Jornalistas responsáveis: Flávia Paschoal/Marisa Massiarelli Setto – Toda Mídia Comunicação


DRA. MILENA ELISA GOES DIAS SILVA

Ginecologista | CRM/SP 141.626

• Formada pela Universidade Federal de Mato Grosso do Sul
• Pós-graduação em infertilidade e reprodução humana pela Faculdade de Ciências médicas da Santa Casa de São Paulo/Projeto Alfa

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *