Skip to main content
Outubro Rosa - Fique atenta aos sinais!

Outubro Rosa – Fique atenta aos sinais!

O diagnóstico precoce aumenta muito as chances de sucesso no tratamento e de cura do câncer de mama. Por isso, a ginecologista Milena Elisa Goes Dias Silva, da equipe do Centro de Reprodução Humana de Piracicaba, alerta sobre a importância de a mulher fazer o autoexame e consultar periodicamente o ginecologista para que seja realizado exame clínico, solicitadas mamografia e, quando houver necessidade, ultrassonografia.

“A mamografia e a ultrassonografia devem ser feitas conforme orientação médica, mesmo que não haja alterações nas mamas”, afirma a ginecologista.  De forma geral, mulheres de 40 a 50 anos devem fazer mamografia no período entre um e três anos. Para os grupos de risco e com nódulo na mama, a mamografia deve ser feita a partir dos 35 anos de idade. Após os 50 anos, o exame deve ser anual. A partir dos 70 anos, a frequência fica a critério médico.

 

mamografia

 

Não existe uma causa única para o câncer de mama, que é mais comum em mulheres (apenas 1% dos casos são diagnosticados em homens) e tem na idade um dos mais importantes fatores de risco para a doença. Cerca de quatro em cada cinco casos ocorrem após os 50 anos.

O câncer de mama é o tipo mais comum da doença entre as mulheres no mundo e no Brasil, depois do câncer de pele não melanoma, respondendo por cerca de 28% dos casos novos a cada ano. De acordo com o Inca (Instituto Nacional do Câncer), a estimativa para 2016 e 2017 é de 58 mil casos novos de câncer de mama no Brasil.

SINTOMAS DO CÂNCER DE MAMA

O câncer de mama é provocado pela multiplicação de células anormais, formando um tumor. “Geralmente, aparece como uma massa ou tumoração palpável, que pode ser sentida no autoexame das mamas”, afirma Milena Goes. A ginecologista ressalta que 80% dos nódulos encontrados na mama são benignos, mas caso verifique alguma alteração, a mulher sempre deve procurar orientação médica. “O diagnóstico precoce do câncer de mama salva muitas mulheres que, após o tratamento, voltam a ter vida normal”, declara.

 

Sintomas do câncer de mama

 

Jornalistas responsáveis: Flávia Paschoal/Marisa Massiarelli Setto – Toda Mídia Comunicação


DRA. MILENA ELISA GOES DIAS SILVA

Ginecologista | CRM/SP 141.626

• Formada pela Universidade Federal de Mato Grosso do Sul
• Pós-graduação em infertilidade e reprodução humana pela Faculdade de Ciências médicas da Santa Casa de São Paulo/Projeto Alfa

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *