Skip to main content
Grávidas não devem tomar vacina contra a febre amarela

Grávidas não devem tomar vacina contra a febre amarela

Gestantes, mulheres que estão tentando engravidar e mães que estão amamentando não devem tomar a vacina contra a febre amarela. O alerta, do ginecologista Paulo Padovani, diretor do Centro de Reprodução Humana de Piracicaba, vale mesmo após a Organização Mundial de Saúde ter classificado todo o Estado de São Paulo como área de risco para a febre amarela.

“Vacinas feitas com germes vivos, como a da febre amarela, não devem ser aplicadas em gestantes, porque podem ser prejudiciais ao feto em desenvolvimento”, afirma o ginecologista.

“Quando a gravidez é planejada, a mulher pode tomar a vacina desde que aguarde, no mínimo, 30 dias para engravidar”, destaca o ginecologista. Ele informa que a mulher que já tomou a vacina, em qualquer período da vida, está protegida contra a doença.

A lista de vacinas contraindicadas na gravidez também inclui rubéola, sarampo, caxumba, catapora, tuberculose, rotavírus, varíola e HPV, o vírus do papiloma humano.

Prevenção é fundamental

A febre amarela é transmitida por mosquitos. Em áreas florestais, o vetor da febre amarela é principalmente o mosquito Haemagogus. No meio urbano, a transmissão se dá através do mosquito Aedes aegypti. Portanto, os cuidados são os mesmos que devem ser tomados na prevenção da dengue, da zika e da chikungunya.

Como os mosquitos criam-se na água e proliferam-se dentro dos domicílios, é essencial eliminar todos os possíveis focos de reprodução do Aedes __ locais onde pode ficar água parada.

Jornalistas responsáveis: Flávia Paschoal/Marisa Massiarelli Setto – Toda Mídia Comunicação

DR. PAULO ARTHUR MACHADO PADOVANI
Ginecologista | CRM 39.536

• Formado pela Faculdade de Medicina de Jundiaí
• Pós-graduado lato-sensu pela Faculdade de Medicina de Jundiaí e Associação Instituto Sapientiae
• Especialista em ginecologia e obstetrícia, e habilitação em laparoscopia
• Membro efetivo da Sociedade Brasileira de Reprodução Assistida
• Possui título de Capacitação em Reprodução Assistida emitido pela Sociedade Brasileira de Reprodução Assistida

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *